31 de maio de 2020Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Jó Pereira volta a cobrar planejamento para enfrentar efeitos da pandemia

Deputada reforça ainda independência e defende legado familiar

Foto: Vinícius Firmino – Ascom ALE

“Sou democrata por convicção. Independência é um exercício na minha vida”, frisou a deputada estadual Jó Pereira, em pronunciamento na sessão desta terça-feira (14), na Assembleia Legislativa.

Na oportunidade, ela defendeu também o legado político da família e reforçou a necessidade do isolamento social e da adoção de medidas urgentes para pensar hoje o futuro econômico e social de Alagoas durante e após a pandemia do novo coronavírus.

A parlamentar iniciou sua fala deixando clara a importância da independência também no exercício democrático da política:

“Sempre existirão várias visões. Mas sempre devemos fazê-la e exercê-la, a política, em busca desse ideal, o de com todos e para todos. E muitas decisões só são entendidas como para todos a médio e longo prazo. Como muitas das decisões que serão tomadas nessa crise da pandemia”. Jó Pereira, deputada estadual.

“Sou independente aqui, no exercício desse mandato, como repetidas vezes afirmo, não sou situação por situação, e muito menos oposição por oposição, e carregarei essa condição, essa característica no exercício e na disputa de qualquer mandato, seja através de um mandato no Congresso Nacional, seja no executivo estadual, sempre e até onde o povo alagoano assim quiser… A independência exige escolhas e caminhos, e nessas escolhas e caminhos sempre o fazemos de preferência através de muito diálogo, comprometimento e do compartilhamento de ideias, visão de futuro e ideais”. Jó Pereira.

Citando o exemplo do pai, o “prefeitão” João José Pereira, na vida pública e privada, Jó destacou que ele sempre ensinou os filhos a enxergar e trabalhar por àqueles que para muitos são invisíveis, os que vivem na pobreza e na extrema pobreza.

Em seguida, a parlamentar defendeu o trabalho dos irmãos, Joãozinho Pereira, prefeito de Teotônio Vilela; Pauline Pereira, prefeita de Campo Alegre e presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA); Fernando Pereira, secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e o empresário Zirleno Pereira.

“O prefeito mais jovem do Brasil em 2000, transformou Teotônio Vilela, que detinha o título da cidade dos anjinhos, pelo elevadíssimo número de mortes de crianças, com um dos piores IDHs da América Latina, para um município de grandes avanços em indicadores de saúde, educação, assistência e tantos outros destaques nos últimos 20 anos… É simples, visitem, conheçam, busquem os números de antes e de hoje e testemunhem o extraordinário trabalho de desenvolvimento do município e de seu povo. Podem comparar, inclusive com os indicadores e serviços prestados pela nossa capital… Esse gestor, esse homem público, tem erros e acertos, como todos, mas garanto que todos os erros foram e são, sempre, buscando o acerto”. Jó Pereira.

Depois de um breve resumo das trajetórias dos irmãos, a deputada estadual reforçou que todas as ações são tomadas com decisões coletivas, mas também individuais, e afirmou se referindo ao decreto de Joãozinho Pereira, flexibilizando o isolamento em Teotônio Viela:

“Atrelar possíveis erros, aos olhos de quem analisa, a mim e a minha futura trajetória política, com certeza não contribui com o debate. O debate específico do isolamento e de como fazê-lo. A decisão do gestor Joãozinho Pereira cabe análise de todos, inclusive minha, mas em nada afeta minhas posições ou trajetória, atual e futura, pois são coisas diferentes. Todos sabem a minha posição em defesa do isolamento, nesse momento, e defendida há muito tempo, desde quando adotamos tal medida, onde mais recentemente na última quarta-feira, dia 9, tive a oportunidade de voltar a defender e justificar o porquê da minha posição, aqui mesmo nessa tribuna adaptada. E, afirmo, em que nada mudou”. Jó Pereira

Jó lembrou que, em meio à pandemia, o mundo exercita a ausência de certezas, mas também a ausência de infraestrutura para enfrentar um inimigo invisível:

“Uma Nação saca R$ 11 trilhões para socorrer sua economia e seus habitantes, em apenas algumas semanas. O Brasil leva um ano e meio para produzir essa riqueza… São instrumentos desiguais de intensidade desigual, para combater efeitos iguais da pandemia. Falta de infraestrutura e mudanças radicais na estrutura socioeconômica de todos”. Jó Pereira

Ações intersetoriais

A deputada voltou a destacar que a ausência de intersetorialidade e simultaneidade nas decisões que vêm sendo tomadas, pesa desde o início sobre todas as áreas com seus prejuízos por conta das medidas de isolamento:

“Saliento que, caso houvesse uma atuação dessa forma, visando o presente e o futuro de Alagoas, talvez esse ou outro gestor municipal não teria tomado tal medida preocupado com as questões socioeconômicas. Teriam eles nortes dessas ações conjuntas de decisões e orientações para todos, que talvez evitassem tal urgência e unilateralidade de decisão a favor da questão econômica, e os gestores ficariam com menos pressão manter o isolamento no tempo e na forma necessária, com mais compreensão por parte de gestores, da classe produtiva e da população em geral”. Jó Pereira

Durante o pronunciamento, Jó também reforçou que, se as indicações e propostas da Casa fossem ouvidas, dialogadas e respondidas pelo executivo estadual, “estaríamos avançando para vencer os desafios”:

“Como ir além das indicações se o Executivo não remete a essa Casa projetos e propostas relativas a ações que possam influenciar nos efeitos da crise ? cadê o apoio no ICMS, a criação do Comitê da Primavera, o não desconto da previdência para os aposentados, a regulamentação do funcionamento das feiras livres e as alternativas e condições de escoamento da produção agrícola, projetos de apoio a classe produtiva, principalmente ao pequeno e médio empreendedor, entre tantas e tantas outras indicações”? Jó Pereira.

Ao encerrar o discurso, Jó voltou a destacar que sua independência permanecerá alinhada com todos que desejam o melhor no coletivo, no exercício da política voltada para realizar transformações, tendo a educação como mola propulsora:

“Notadamente estamos nós, Pereiras, sempre alinhados nesse sentido. Por isso algumas divergências pontuais não abalam nossos propósitos como agentes públicos. Afinal, nada que um bom diálogo e muito respeito, não resolvam… Falhas podem ser encontradas, lutas ainda a ser travadas, frutos muitas vezes da dificuldade numérica e da capacitação humana, assim como também de recursos. Mas nunca por falta de trabalho e dedicação, em todas as áreas”. Jó Pereira.

“Vamos nos unir e enfrentar esse inimigo comum a todos, a pandemia, com muito diálogo, espírito público, ideias e sem o exercício da pauta eleitoral. Manter o foco no combate aos efeitos dessa crise. Peço que o quanto antes sejam produzidos estudos, análises e propostas de ações, apontando uma luz no horizonte, motivando as alagoanas e os alagoanos a passarem as dificuldades do momento, que não serão de dias, semanas, mais sim de meses, de uma maneira mais esperançosa”. Jó Pereira

Após a fala de Jó, os deputados Davi Maia e Cabo Bebeto concordaram com a parlamentar ao afirmarem entender a pressão sofrida pelo prefeito Joãozinho Pereira para adoção das medidas orientando a flexibilização do isolamento social.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.