13 de dezembro de 2019Informação, independência e credibilidade
Maceió

Mesa Redonda sobre a Lei Maria da Penha hoje, às 17 horas, na Bienal

Ideia é discutir os avanços e desafios em 13 anos de vigência da lei, no Brasil e em Alagoas

Maria da Penha Fernandes, imagem é capa do livro de memórias “Sobrevivi… Posso contar”.

Os avanços e as dificuldades para a efetivação da defesa das mulheres vítimas de violência doméstica, no Brasil, vão estar na pauta da 9ª  Bienal Internacional do Livro de Alagoas, neste último dia do evento.

A mesa redonda ” 13 anos da Lei Maria da Penha e as Marias que não  calam: o perfil da violência contra a mulher em Alagoas” vai acontecer a partir das 17 horas, na Associação Comercial, no Jaraguá.

Maria da Penha, a mulher que sobreviveu e nunca se calou.

A ideia da discussão dessa temática durante a Bienal foi da professora  Andrea Pacheco, do curso de Serviço Social da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), que é coordenadora do  Núcleo de Estudos Frida Kahlo. Além dela, também vão participar do debate a advogada Paula Lopes, coordenadora do Centro de Defesa dos Direitos das Mulhereses (CDDM), a major Daniele Assunção, da Patrulha Maria da Penha, e representantes do Movimento Mulheres Camponesas.

“Dentro dessa proposta, ficamos com o papel de explicar um pouco os  avanços da Lei (11.340/2006) e falar um pouco do perfil das mulheres atendidas, em Alagoas. Também vamos levantar alguns questionamentos. O que  realmente está sendo eficaz? Quais as principais dificuldades? Além de fazer um recorte sobre a atuação do CDDM na periferia de Maceió”, adirma  a advogada Paula Lopes.

“Essas mulheres são estimuladas a denunciar e, muitas vezes, caem numa rede cheia de buracos, que acaba não sendo tão eficaz. Mesmo assim, conseguem resistir, prosseguir, dar continuidade às suas vidas”, analisa a coordenadora do CDDM, que funciona no Conjunto Santos Dumont, em Maceió. Durante o evento,, vítimas de violência atendidas pelo CDDM vão compartilhar suas vivências com o público, em um gesto de empoderamento, coragem e resistência.

Sugestão de Leitura

Quem desejar conhecer em detalhes a história de Maria da Penha, não deixe de adquirir a obra “Sobrevivi… posso contar’, na qual a própria  relata sua trajetória de luta e resistência.  Luta que acabou resultando na Lei Maria da Penha e em diversos outros instrumentos de prevenção e combate à violência contra a mulher no Brasil.

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.