20 de janeiro de 2020Informação, independência e credibilidade
Policia

Militante bolsonarista mentiu sobre ataque homofóbico: ela foi a agressora

Karol Eller estava alterada, armada e caiu na sargenta machucando o rosto; e depois bateu na namorada

Karol Eller estava alterada, armada e caiu na sargenta machucando o rosto; e depois bateu na namorada

A análise de imagens de câmeras de segurança e depoimentos levaram a Polícia Civil a concluir que foi a youtuber Karol Eller quem começou a briga com o auxiliar administrativo Alexandre da Silva, na manhã do último domingo (15), em um quiosque na Barra de Tijuca, Zona Oeste do Rio.

Não houve agressão motivada por homofobia, como alegaram Karol e a namorada, a policial civil Suelen Santos. Na verdade, Karol brigou porque estava com ciúmes da namorada. As duas vão responder por denunciação caluniosa, porque mentiram em depoimento, segundo a delegada Adriana Belém.

“O que não podemos admitir é que você utilize a delegacia, máquina administrativa do estado, chegue aqui e minta, utilizando de uma causa tão nobre, a vitória dos homossexuais e ela estava aqui banalizando isso e mentindo. Acho triste isso, é uma atitude criminosa e a gente não admite esse tipo de coisa”. Adriana Belém, delegada do caso.

Um funcionário do quiosque ouvido nesta quinta-feira (19) pela polícia disse que Karol estava alterada, mexendo em uma arma e que tentou agredir Alexandre por diversas vezes. Segundo ele, Alexandre pediu para que a youtuber largasse a arma.

O funcionário contou que, depois de toda a briga, Karol deu socos na namorada, a policial civil Suelen dos Santos, dona da arma que ela estaria portando. De acordo com o trabalhador, depois, Karol caiu e bateu com o rosto no chão, onde ficou inconsciente.

Após o caso, a namorada de Karol disse que um dos homens começou a fazer provocações e depois passou a agredir a youtuber com empurrões e socos. A Youtuber tem 79 mil seguidores no seu canal e se declara apoiadora do presidente Bolsonaro em suas publicações.

Após as acusações mentirosas, Eduardo Bolsonaro foi ao Twiiter para, claro, atacar a esquerda. Depois do caso ser esclarecido, ainda não voltou para se retratar:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.