1 de abril de 2020Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Morre o ex-deputado João Beltrão, pai do deputado federal Marx Beltrão

Foram trinta e quatro anos de vida pública, sendo seis mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa de Alagoas, com 24 anos como deputado

O deputado federal Marx e o pai, João Beltrão, em imagem de 2018

Faleceu neste sábado (21) o ex-deputado João Beltrão. Aos 64 anos de idade, ele não resistiu às complicações do câncer, que o obrigou a se afastar da vida pública nas eleições do ano passado.

“A família do ex-deputado João Beltrão comunica o seu falecimento no começo da tarde deste sábado, 21 de dezembro de 2019, no hospital Santa Casa de Misericórdia, em Maceió, onde Beltrão estava internado. O velório do ex-parlamentar será realizado em Coruripe e o enterro em Maceió, em horário e local que serão em breve divulgados”. Nota da família Beltrão.

Foram trinta e quatro anos de vida pública, sendo seis mandatos consecutivos na Assembleia Legislativa de Alagoas, com 24 anos como deputado estadual.

O câncer se tornou público em janeiro de 2018, quando o diagnóstico foi revelado pelo próprio filho de JB, como era conhecido o parlamentar, deputado federal e atual ministro do Turismo, Marx Beltrão (MDB).

Engenheiro eletricista e agricultor, em 2016 conseguiu colocar a família Beltrão à frente de cinco municípios em Alagoas, entre os quais a filha Jeannyne Beltrão, de apenas 32 anos, em Jequiá da Praia, a 78 km de Maceió.

Em Coruripe, a 91 km da capital, município onde começou a vida pública e governou por três vezes, elegendo depois o filho Marx em duas eleições seguidas, João Beltrão impôs a maior derrota ao grupo adversário entre todos os redutos da sua base: elegeu o irmão Joaquim Beltrão com quase 70% dos votos válidos.

Homicídio em 1996

Beltrão foi acusado de ser o mandante do assassinato do cabo da Polícia Militar José Gonçalves da Silva Filho, em maio de 1996, e foi absolvido por unanimidade em 2017.

O Judiciário alagoano absolveu o parlamentar, alegando que faltou à acusação, feita pelo MPE/AL, “provas robustas”. No entanto, a chefia da instituição garante que, há sim, provas importantes juntadas aos autos.

Em 8 de maio do ano passado, um embargo conseguiu, na sessão plenária do TJ, mudar o entendimento de um desembargador, que refez seu voto, manifestando-se pela condenação do, à época, deputado estadual João Beltrão.

E em fevereiro deste ano, o procurador-geral de justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, interpôs um recurso especial para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) para contestar o resultado.

One Comment

  • Avatar Luis Cavalcante

    Nossos profundos sentimentos a familia de nosso querido amigo João Beltrão! Que Deus conforte os corações de todos os familiares. Luis Cavalcante e Família.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.