3 de junho de 2020Informação, independência e credibilidade
Maceió

MPT, Município de Maceió, sindicatos e CRP15 garantem proteção a trabalhadores da saúde

Ministério Público do Trabalho passa a ter canal de comunicação direto com Secretaria Municipal de Saúde para agilizar apuração de denúncias e resolução de problemas

Em mais uma audiência para discutir as condições de labor de profissionais da saúde, o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas recebeu, nesta quinta-feira (23), representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e da Procuradoria do Município de Maceió, bem como entidades representativas dos trabalhadores.

Ao final do encontro, restou definido o cumprimento de 10 medidas, no prazo de cinco dias úteis, para garantir a segurança dos profissionais em destaque, principalmente daqueles que estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus Covid-19.

A reunião foi comandada pelo procurador do Trabalho Rodrigo Alencar, com o apoio dos também membros do MPT Virgínia Ferreira e Luiz Felipe dos Anjos. Os três integram o Gabinete de Crise de Combate à Covid-19 da instituição ministerial em Alagoas, ao lado do procurador-chefe, Rafael Gazzaneo.

Pela Secretaria Municipal de Saúde, fez-se presente a secretária-adjunta Nadja Tenório, no lugar do titular da pasta, José Thomaz Nonô. Os representantes do poder público e as lideranças classistas analisaram conjuntamente uma pauta de reivindicações dos trabalhadores.

Ao final, as partes deliberaram pelo abastecimento das unidades de saúde com equipamentos de proteção individual (EPIs), tais como máscaras cirúrgicas, luvas descartáveis, capote, óculos e protetor facial, tudo de acordo com a Nota Técnica nº 4/2020, a qual define o material de trabalho de combate à Covid-19.

Os itens devem ser fornecidos com qualidade certificada e em quantidades suficientes para o expediente diário de todos os servidores da área. Diante da impossibilidade de disposição desses materiais, a SMS deverá apresentar um plano de trabalho para os trabalhadores a fim de evitar ou minimizar os riscos à saúde deles.

Caberá ao Município não só fornecer os itens em destaque e dispor de plano de trabalho alternativo, como também capacitar todos os servidores sobre como proceder diante das situações de risco de contágio do novo coronavírus, principalmente no manejo dos equipamentos de proteção.

“O treinamento deve ser realizado também com os prestadores de serviços sem formação na área, tais como o pessoal da limpeza das empresas terceirizadas, e não apenas com os profissionais da saúde”. Rodrigo Alencar, procurador do Trabalho.

O Ministério Público do Trabalho garantiu ainda que haverá um canal direto entre a instituição e a Secretaria Municipal de Saúde com o objetivo de agilizar a apuração de denúncias e a resolução de problemas.

Estiveram presentes na audiência o Sindicato dos Médicos de Alagoas, Sindicato dos Enfermeiros de Alagoas, Sindicato dos Técnicos em Enfermagem do Estado de Alagoas, Sindicato dos Odontologistas no Estado de Alagoas, Sindicato dos Servidores da Secretaria de Saúde do Município de Maceió, Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, o Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho no Estado de Alagoas e o Conselho Regional de Psicologia da 15ª Região (CRP15).

Mais medidas

Como forma de monitorar o contágio nas unidades de saúde, a SMS se comprometeu a disponibilizar testes da Covid-19 para todos os servidores da área que estejam em atividade, desde que apresentem sintomas da doença.

Também ficou acordado que o Município tornará obrigatório o uso de máscaras para a entrada nas unidades de saúde, como forma de proteger os seus trabalhadores. Haverá higienizações interna periódica e externa de todos os prédios que tratam do coronavírus.

Em relação aos agentes comunitários de saúde e agentes de endemias, deliberou-se pela garantia do cumprimento do protocolo para visitas domiciliares, conforme orientação do Ministério da Saúde, o que inclui a disponibilidade de equipamentos de proteção individual para a realização delas.

O Município de Maceió assumiu ainda o compromisso de não suspender o pagamento da insalubridade dos servidores afastados por questões de adoecimento e de estarem no grupo de risco, fatores que impossibilitam o desenvolvimento das atividades laborais.

No mesmo sentido, não haverá qualquer desconto de verba salarial dos servidores que se encontrem em regime de teletrabalho ou impedidos de irem ao local de trabalho por falta de transporte intermunicipal decorrente dos decretos de calamidade pública.

O mesmo compromisso foi assumido pela Secretaria de Estado de Saúde de Alagoas na audiência realizada na sede do MPT, na terça-feira passada.

Por fim, a pedido do Conselho Regional de Psicologia, serão disponibilizadas equipes de saúde mental com atendimento exclusivo aos trabalhadores que estão na linha de frente no combate à Covid-19.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.