12 de agosto de 2020Informação, independência e credibilidade

Maceió

Médicos alegam problemas no PAM Salgadinho e temem desabamento

Maceió
O Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed-AL) fará uma coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (16), às 8 horas, em sua sede, localizada no Trapiche da Barra, para divulgar um relatório elaborado em junho e encaminhado ao Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE-AL). O documento denuncia graves problemas estruturais no prédio onde funciona o Posto de Atendimento Médico do Salgadinho (PAM Salgadinho), que é o maior da rede municipal. No local, já ocorreu o desabamento do teto da sala de pequenas cirurgias (que foi desativada e nunca voltou a funcionar) e dois incêndios. Com as chuvas dos últimos dias a situação piorou e os médicos temem que partes do prédio desabem. Sem passar por manutenção há quase duas décadas, o prédio apresenta vazamentos e infiltrações em vários pontos do teto

Rui prioriza festa na gestão e faz embromação na saúde pública

Maceió
Cada vez que um repórter tenta questionar o desserviço da saúde pública em Maceió durante as entrevistas do prefeito Rui Palmeira (PSDB), ele simplesmente desata a tergiversar e de imediato responsabiliza o governo federal. Foi assim nesta segunda-feira, 13, no estacionamento de Jaraguá, quando ele dava coletiva à imprensa. Um repórter de rádio perguntou-lhe por que o posto de saúde do conjunto Alfredo Gaspar de Mendonça estava fechado e o prefeito disse que o governo federal havia atrasado o repasse dos recursos. Não foi dito pelo prefeito que as contas da Secretaria Municipal de Saúde foram reprovadas pelo Conselho Municipal de Saúde, em 2013, em função da malversação dos débitos por parte da gestão municipal. Se há contas rejeitadas, obviamente fica dfiícil de a Prefeitura con
SMCCU de Maceió prejudica engenheiros alagoanos ao rejeitar projetos arquitetônicos

SMCCU de Maceió prejudica engenheiros alagoanos ao rejeitar projetos arquitetônicos

Maceió
Representantes do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL), da Associação Brasileira de Engenheiros Civis (Abenc), Federação Nacional dos Engenheiros e o vereador de Maceió, Guilherme Soares, foram na Superintendência de Controle e Convívio Urbano (SMCCU) de Maceió, para protocolar com o superintendente Reinaldo Braga, um ofício pedindo que a Prefeitura de Maceió volte a aceitar projetos arquitetônicos elaborados por engenheiros civis. O problema tem prejudicado o exercício profissional dos engenheiros alagoanos. De acordo com o ofício apresentado pelo presidente do Crea, Fernando Dacal, a Resolução 51/13, sustentada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Alagoas (CAU-AL) não pode ser aplicada para o exercício da engenharia civil. “O Conselho de Arqui
Cobertura de posto de combustível desaba no Farol

Cobertura de posto de combustível desaba no Farol

Maceió
E a chuva faz mais estragos. Agora, foi a vez da estrutura, que cobre o posto de combustível Shell, desabar no início da tarde deste sábado, dia 4. O estabelecimento fica localizado na Rua Professor José da Silveira Camerino, no bairro do Pinheiro. No momento desabamento, o posto funcionava normalmente,  veículos eram atendidos no estabelecimento. Segundo a Defesa Civil de Maceió, ninguém ficou ferido, mas os prejuízos foram grandes, princialmente nos carros que ainda estão debaixo da estrutura.        
Rio Jacuípe transborda e famílias deixam suas casas

Rio Jacuípe transborda e famílias deixam suas casas

Maceió
As chuvas que caem Maceió desde ontem tem feito estragos na cidade e causando transtornos a população. Além das ruas alagadas há permanente tensão de quem mora nas áreas de riscos da cidade. Barreiras na área do Bom Parto, Cambona, Feitosa e Chã da Jaqueira são sempre uma preocupação a mais para a Defesa Civil que está em alerta para qualquer emergência nessas áreas. Foi também por causa das chuvas que na madrugada deste sábado, 4, o teto do prédio histórico da Secretaria Estadual de Educação desabou. Abandonado desde o governo de Téo Vilela, o edifício sede da Educação dá a exata dimensão de como as autoridades tratado o setor no Estado. O Corpo de Bombeiros foi acionado para o local e a área está isolada. Os ambulantes do entorno do prédio foram removidos devido à ameaça
Crea vai à justiça contra decisão da Prefeitura de Maceió que prejudica engenheiros

Crea vai à justiça contra decisão da Prefeitura de Maceió que prejudica engenheiros

Maceió
A Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano (SMCCU) de Maceió não está mais aceitando projetos arquitetônicos elaborados por engenheiros civis e outras profissões habilitadas. A decisão do órgão municipal tem causado indignação de vários profissionais vinculados ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL). Essa rejeição é baseada na Resolução de Nº 51, elaborada pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU-BR) e que, segundo o Crea, afronta a Constituição Federal do País. De acordo com o setor Jurídico do Crea, essa determinação do CAU é indevida, pois fere a lei Nº 5.194/66, que garante também aos engenheiros civis a competência de realizar tal atividade. O parecer jurídico do Crea é de que o Conselho de Arquitetura não tem compet
Trabalhadores rurais realizam ato pela desapropriação de terras de João Lyra

Trabalhadores rurais realizam ato pela desapropriação de terras de João Lyra

Maceió
Trabalhadores rurais ligados aos movimentos MLT, MTL, MST, MUPT, MVT e Terra Livre realizam, daqui a pouco, uma marcha unificada pelo Centro de Maceió, para exigir a desapropriação de terras que integram a massa falida do Grupo João Lyra, em favor da reforma agrária em Alagoas. Eles se concentram, desde o início da manhã, na Praça dos Martírios, em frente ao antigo palácio, de onde sairão em caminhada. Os Sem Terra denunciam a dívida do grupo liderado pelo empresário e ex-deputado federal João Lyra (PSD), que teve sua falência decretada há 7 anos, devendo aos governos federal e estadual, ex-funcionários e outros credores, cerca de R$ 2,1 bilhões. E exigem a desapropriação das terras em benefício dos trabalhadores rurais. De acordo com levantamento feito pelos movimentos, o empresário, q
Mova Alagoas realiza debate cultural sobre os 200 anos de Maceió

Mova Alagoas realiza debate cultural sobre os 200 anos de Maceió

Maceió
O Movimento Cultural Alagoano (MovA) promoverá uma série de encontros, ao longo do segundo semestre de 2015, com a proposta de discutir temas e problemas da realidade cultural de nosso estado. No dia 5 de julho (domingo), a partir das 15h, o primeiro MovA Cultura coloca em debate Maceió: 200 anos e suas configurações, num bate-papo com a arquiteta e urbanista Isadora Padilha de Holanda Cavalcanti, especialista em preservação e conservação do patrimônio cultural. O local do encontro é o Espaço Cultural La Rosa Mossoró, em frente à antiga Praça Rayol, no bairro de Jaraguá. Durante a conversa, Isadora irá compartilhar com os presentes alguns aspectos importantes sobre a ocupação espacial da cidade e a relação entre desenvolvimento urbano e identidade cultural, tomando como ponto de
Praça da Faculdade: o retrato do descaso, do abandono e da omissão

Praça da Faculdade: o retrato do descaso, do abandono e da omissão

Maceió
Antes um espaço de convivência emblemático, charmoso, festivo, glamoroso e saudável. Hoje, descaso, abandono, sujeira e marginalizado, graças a omissão e inoperância do poder público municipal. Assim vive a velha e histórica praça da Faculdade, em Maceió. As marcas da destruição estão em toda parte. Todos os seus bancos destruídos. Ícones e monumentos depredados, jardins e arborização há tempos sem qualquer manutenção. Enfim tudo entregue ao acaso, quando, enquanto espaço público importante, deveria ter recebido a devida atenção do governo Rui Palmeira (PSDB). A tristeza dos moradores da área com o deplorável estado da praça da Faculdade é sentida em cada conversa. Revoltada e desiludida a população ao redor da praça já perdeu as esperanças em ter de volta o antigo espaço com uma á

Chuvas derrubam barreiras em Maceió e agravam situação de moradores de áreas risco

Maceió
As chuvas caídas na capital fizeram estragos nas vidas de muita gente. As quedas de seis barreira no Bom Parto, Mutange e Feitosa, na noite desta quarta-feira, 24, aumentaram as situações de riscos em que vivem os moradores das encostas.A previsão da Defesa Civil de Maceió é de mais chuvas para as próximas horas. De acordo com o monitoramento realizado pela Defesa civil as chuvas devem ser intensas até a manhã desta quinta-feira, 25, na capital. Diante do clima de tensão, os técnicos da área passaram a monitorar de perto mais 76 áreas de risco na periferia de Maceió. Dinário Lemos, coordenador da Defesa Civil diz que hoje a situação é preocupante. Felizmente nenhuma vitima fatal foi registrada com os deslizamentos de barreiras, mas ainda assim a Defesa Civil pede que a população das