5 de agosto de 2020Informação, independência e credibilidade
Política

Para evitar inquérito do STF, Weintraub já se mandou do Brasil e agora está nos EUA

Ex-ministro do governo Bolsonaro é alvo do inquérito das fake news e é investigado no tribunal por racismo

Após a ameaça, a saída: depois de dizer que sairia do Brasil dentro de poucos dias e um senador pedir seu passaporte no STF, o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, já deixou o país. A confirmação vem de seu irmão, Arthur Weintraub: ele viajou e se encontra em Miami.

De acordo com a assessoria de imprensa do MEC, Weintraub viajou ainda nesta sexta-feira (19). Ele deixou o país no mesmo dia em que o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) protocolou no Supremo um pedido de apreensão do passaporte para evitar que ele saísse do país.

O ex-ministro do governo Bolsonaro é alvo do inquérito das fake news, que tramita no Supremo, Weintraub também é investigado no tribunal por racismo, por ter publicado um comentário sobre a China.

Integrantes do Judiciário já diziam, nos bastidores, acreditar que Weintraub poderia ser preso, o que vinha preocupando o ministro. Ao anunciar a saída do MEC, ao lado de Bolsonaro, Weintraub disse que sairia do país para assumir uma posição no Banco Mundial. A indicação para a vaga, entretanto, ainda não foi efetivada.

Se ele for aprovado pelos demais acionistas, vai ganhar R$ 116 mil mensais, contra os R$ 30 mil que recebia no ministério. O aumento é superior a 400%. Este sim, um negócio da China.

Bolsonaro demitiu Weintraub após desgaste com o STF. Weintraub defendeu a prisão dos ministros da corte em reunião ministerial de 22 de abril e depois reafirmou o posicionamento em encontro com manifestantes favoráveis ao governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.