11 de agosto de 2020Informação, independência e credibilidade
Política

PEC criada por deputado bolsonarista quer Rio de Janeiro de novo como capital do Brasil

Recentemente, Daniel SIlveira testou positivo para covid-19, após dizer que a doença ‘idiotizava’ pessoas

Daniel Silveira, um dos deputados federais investigados no inquérito das fake news do Supremo Tribunal Federal, apresentou uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) para que a cidade volte a ser capital federal, dividindo esse status com Brasília.

Sua intenção é dar fim à decadência econômica e à escalada da criminalidade no Rio de Janeiro. Ele defende que “é inconteste que o Rio de Janeiro é mais Capital que Brasília” por abrigar “as bases de instituições federais e ministérios” e a maior quantidade de servidores federais do país.

Ele vai além e cita exemplos de outros países: Bonn, ex-capital da Alemanha, que atualmente é cidade federal, sede de seis ministérios; Rússia, onde São Petersburgo é a segunda capital; África do Sul, que tem três capitais (Pretória, Cidade do Cabo e Bloemfontein); China, onde Pequim é a “capital do norte” e Nanquim a “capital do sul” e a Coreia do Sul, representada por Seul e Sejong.

No texto, ele explica que o presidente despacharia regularmente no Rio, a cidade federal, que teria de volta a sede dos ministérios. Para ele, isso amenizaria o problema do isolamento dos políticos em Brasília.

“Capitais distantes da população reduzem a prestação de contas. O Rio passa de problema à solução, vitrine da recuperação do Brasil”. PEC de Daniel Silveira.

Silveira é o mesmo que voltou atrás na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado ao pedir a presença de Glenn Greenwald, para que o jornalista se explicasse sobre a Vaza Jato – ele se arrependeu, quando percebeu que daria voz ao homem que confirmaria a veracidade do que fora vazado.

Ele é mais conhecido por ter quebrado a placa que homenageava Marielle Franco, no Rio. Recentemente, testou positivo para covid-19, após dizer que a doença ‘idiotizava’ pessoas.

E em recado aos antifascistas, o deputado chegou a dizer que eles correm risco de, numa ação de protesto, levaram um tiro seja de um policial ou dele mesmo, se tiver “sorte”, afirmou. Silveira os trata por “vagabundos comunistas”.

“Até que vocês vão pegar um, quem saiba não seja eu, o sortudo, né, que vocês me peguem na rua num dia muito ruim e eu descarregue minha arma num ‘fdp’ comunista que tentar me agredir. Vou ter que me defender, né? Não vai ter jeito. E não adianta nem falar que foi homicídio, foi legítima defesa. Tenho certeza, vou me defender. Certeza absoluta”. Daniel Silveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.