1 de abril de 2020Informação, independência e credibilidade
Maceió

Prefeitura de Maceió e Braskem firmam novo Termo de Cooperação

Plano de trabalho foi proposto após consultoria das Universidades Federais de Pernambuco e Rio Grande do Norte, e da CPRM

Prefeito Rui Palmeira assinou termo em reunião com representantes da Braskem . Foto: Átila Vieira/Secom Maceió

A Prefeitura de Maceió e a Braskem firmaram nesta segunda-feira (16) novo Termo de Cooperação Técnica visando o acompanhamento adequado do problema de instabilidade de solo que afeta os bairros do Pinheiro, Mutange, Bebedouro e Bom Parto. O Plano de Trabalho prevê a instalação de rede de sismógrafos e novos DGPS para monitoramento da área.

Este plano de trabalho foi proposto após consultoria das Universidades Federais de Pernambuco e Rio Grande do Norte, e do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Os equipamentos devem gerar dados com mais precisão para o Centro Integrado de Monitoramento e Alerta de Defesa Civil (Cimadec) da Defesa Civil de Maceió.

Ações do Plano de Trabalho

  • Execução de estudos e avaliação voltados à comunidade;
  • Execução de estudos de sísmica;
  • Estruturação da sede da Defesa Civil com doação de equipamentos;
  • Consultoria de monitoramento e subsídios às ações da Defesa Civil da UFPE;
  • Instalação de rede de sismógrafos proposta pela UFRN;
  • Estrutura de comunicação com poços de monitoramento;
  • Doação de 7 DGPS e acesso do sistema da Defesa Civil aos dados dos DGPS da Braskem;

Para o coordenador especial de Proteção e Defesa Civil, Dinário Lemos, o Termo de Cooperação Técnica 2 foi planejado tomando como base os estudos da CPRM.

“Após o relatório da CPRM, que aponta as causas da instabilidade de solo que afeta os bairros e a evolução do problema, propusemos um plano de trabalho com o suporte de pesquisadores das universidades, visando um monitoramento mais eficaz e, consequentemente, a salvaguarda da população”. Dinário Lemos, coordenador especial de Proteção e Defesa Civil.

O prefeito Rui Palmeira destacou que a gestão municipal tem se dedicado ao atendimento da população, adotando medidas para preservar a segurança das pessoas, resguardar a vida e minimizar os danos que afetam a comunidade dessa região.

“Mobilizamos o governo federal em busca da identificação das causas do problema, decretamos situação de emergência e posteriormente, estado de calamidade pública, o que permitiu a obtenção de recursos para o pagamento da ajuda humanitária. Também garantimos a isenção de todos os tributos municipais para moradores e comerciantes dos bairros afetados pelos próximos cinco anos, entre outras ações. Atualmente, a Prefeitura trabalha no ajuste dos dados cadastrais dos moradores da encosta do Mutange para a realocação dessas famílias para imóveis do Minha Casa Minha Vida”. Rui Palmeira, prefeito de Maceió.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.