28 de janeiro de 2020Informação, independência e credibilidade
Brasil

Sem transparência: Governo não quer auditoria sobre seus gastos

Auditoria que iria investigar gastos com o cartão corporativo do Planalto foi engavetada

Bolsonaro manda aliado engavetar investigação sobre gastos no cartão corporativo

Se há uma coisa que o governo Jair Bolsonaro não gosta é de transparência. Sobretudo em seus gastos. Tanto que a  Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados mantém na gaveta há quase dois meses um pedido de auditoria nos gastos com cartão corporativo da Presidência da República.

A comissão é presidida pelo deputado Léo Motta (PSL-MG), aliado e cumpridor de ordens do presidente  Bolsonaro.

O pedido de auditoria partiu do primeiro vice-líder do PSB na Câmara, deputado Elias Vaz (PSB-GO). Segundo ele, ao se nomear relator, Motta atendeu a um pedido do Planalto para que a tentativa de se fazer um pente-fino nos gastos do presidente não avance.

“Ele é fiel ao presidente, então se nomeou relator e não colocou sequer o requerimento para a comissão apreciar. A estratégia dele é engavetar”, afirmou Vaz. A última movimentação do pedido foi justamente a definição de Motta como relator, em 6 de novembro.

O Planalto e o deputado Leo Motta foram procurados, mas não se manifestaram até a publicação da notícia. A Comissão de Fiscalização da Câmara tem como função principal o acompanhamento e a fiscalização das contas públicas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.