28 de maio de 2020Informação, independência e credibilidade

Tag: Alcolumbre

Congresso promulga emenda do Orçamento de Guerra

Congresso promulga emenda do Orçamento de Guerra

Política
O Congresso Nacional promulgou na tarde de hoje (7) a Proposta de Emenda à Constituição 10/2020 (PEC 10/20), que trata do Orçamento de Guerra, para combater a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19). Participaram da cerimônia, além do presidente do Congresso, Davi Alcolumbre, o presidente da Câmara e autor da proposta, Rodrigo Maia, e o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO). O presidente da Câmara ressaltou que as duas casas contribuem de forma decisiva para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus com a construção e promulgação da PEC. “Vamos deixar claro com essa promulgação que queremos sair dessa situação com um número menor de perdas de vidas, esse é o principal objetivo, garantia das vidas. Mas também que a gente garanta os n
Senado e Guedes fecham acordo para pacote de R$ 120 bi a estados e municípios

Senado e Guedes fecham acordo para pacote de R$ 120 bi a estados e municípios

Política
O ministro da Economia, Paulo Guedes, fechou negociação com o Senado e foi elevado para $ 120 bilhões o pacote de socorro aos estados e municípios na crise do coronavírus. Deste valor, metade será de repasse direto para o caixa de governadores e prefeitos. Há algumas semanas, a proposta apresentada pela equipe econômica previa uma ajuda financeira de R$ 77,4 bilhões, com R$ 40 bilhões de transferência direta, mas o valor foi considerado tímido, principalmente diante do projeto aprovado pela Câmara. Agora, o governo federal teve que ceder e ampliar o valor previsto, inclusive para os repasses diretos, que têm efeito no Orçamento. Com a queda da economia, a receita dos estados e municípios está caindo e alguns gestores dizem que logo ficarão sem recursos para pagar salários. Por
Para Alcolumbre, governo Bolsonaro ‘acabou’

Para Alcolumbre, governo Bolsonaro ‘acabou’

Política
Segundo a Revista Veja, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) afirmou que “o governo Bolsonaro acabou. A diferença é saber se ele chega a 2022”. Esta foi apenas uma das reuniões coordenadas pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que discutem os rumos do país durante do governo e a atuação do presidente Jair Bolsonaro diante da pandemia do novo coronavírus. Nelas estão líderes partidários, ministros de tribunais e a cúpula do Senado para debater a postura do Palácio do Planalto e a falta de articulação política e sustentação partidária de bolsonaristas no Congresso. Oficialmente, não há movimentos concretos para o andamento de um processo de impeachment contra o presidente, que ainda tem popularidade na casa dos 30%, embora 51% dos brasileiros acreditam qu
Alcolumbre critica Bolsonaro e diz que país ‘precisa de liderança séria, responsável e comprometida’

Alcolumbre critica Bolsonaro e diz que país ‘precisa de liderança séria, responsável e comprometida’

Política
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reagiram  com perplexidade e irritação ao pronunciamento em que o presidente Jair Bolsonaro criticou o fechamento de escolas, atacou governadores e culpou a imprensa pela crise provocada pelo coronavírus no Brasil. Veja a nota na íntegra: Neste momento grave, o País precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção ao Covid-19. Posição que está na contramão das ações adotadas em outros países e sugeridas pela própria Organização Mundial da Saúde (OMS). Reafirmamos e insistimos: não é momento de ataque à imprensa e a outros gestores públicos. É momento de un
Após Bolsonaro falar em ‘golpe’, Congresso já prepara retaliação

Após Bolsonaro falar em ‘golpe’, Congresso já prepara retaliação

Política
Não bastou afrontar Legislativo e Judiciário ao engrossar manifestações em apoio ao governo e com ataques aos outros Poderes. No dia seguinte, o presidente Jair Bolsonaro se disse ameaçado pela cúpula do Congresso e afirmou estar em uma "luta de poder" e que o isolamento dele "seria um golpe". Com isso, ganhou força entre parlamentares movimento para usar a narrativa do coronavírus como forma de retaliar o Executivo. Isso após os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, se reuniram na tarde desta segunda (16) sem Bolsonaro para discutir ações contra a doença. O governo federal foi representado pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que, de maneira inacreditável (mas não inesp
Renan quer reações de Alcolumbre e Maia contra Bolsonaro: ‘Estão com medo’?

Renan quer reações de Alcolumbre e Maia contra Bolsonaro: ‘Estão com medo’?

Política
Em suas redes sociais, durante as manifestações de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, que também pediam fechamentos do Congresso e STF, o senador por Alagoas, Renan Calheiros (MDB), questionou a posição dos presidentes da Câmara e Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre (ambos DEM). Lamento repetir que a reação dos chefes do Legislativo está aquém dos arreganhos de @jairbolsonaro, com quem parecem continuar governando (@onyxlorenzoni, demitido e nomeado, é um exemplo). Estarão com medo? Medo nessas horas só atrapalha.#Irresponsavel #coronaday#manifestacao — Renan Calheiros (@renancalheiros) March 15, 2020 No processo do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 2016, enquanto Eduardo Cunha era o presidente do Câmara, Renan comandava o Senado e ambos levaram à frente o proce
Segundo Bolsonaro, protesto do dia 15 esfriaria se Congresso devolvesse R$ 15 bilhões

Segundo Bolsonaro, protesto do dia 15 esfriaria se Congresso devolvesse R$ 15 bilhões

Política
Em discurso para 300 apoiadores nos EUA, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que bastava o Congresso devolver os R$ 30 bilhões do orçamento para não haver atos no dia 15. Exatamente: em algo próximo de chantagem, ele afirmou que não dependeria dele encerrar a manifestação popular do próximo domingo. E isso foi dito abertamente ao próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia: "Ontem, anteontem, troquei umas mensagens com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, falando sobre a questão do dia 15 de março que, no meu entender, é algo voluntário por parte do povo, não é contra o Congresso, não é contra o Judiciário, é a favor do Brasil que, afinal de contas, devemos obedecer e seguir o norte apontado pela população. E o que a população quer, que está em discussão lá em Brasília: não quer que o
Alcolumbre adia análise de veto de Bolsonaro sobre divisão do Orçamento

Alcolumbre adia análise de veto de Bolsonaro sobre divisão do Orçamento

Política
Estava tudo encaminhado entre Executivo e Legislativo, mas com o acordo entre o governo federal e o Congresso Nacional ameaçado de cair, o presidente do Parlamento e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidiu adiar a análise do veto do presidente da República, Jair Bolsonaro, que aconteceria na terça (3). A decisão foi tomada por Alcolumbre após reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e líderes partidários tanto do Senado quanto da Câmara. Suspendi a sessão do Congresso de hoje, após definirmos, com os líderes partidários das duas Casas, que os PLNs que regulamentam o orçamento impositivo atenderão aos prazos regimentais de tramitação. Retornaremos, amanhã (4), às 14h, com a análise dos vetos destacados da pauta. — Davi Alcolumbre (@davialcolumbre) March 3,
Negociações entre governo e Congresso avançam para divisão do Orçamento

Negociações entre governo e Congresso avançam para divisão do Orçamento

Política
Após duas semanas de impasse, o governo e o Congresso sinalizam para um acordo sobre o controle de cerca de R$ 30,1 bilhões do Orçamento deste ano. A proposta mantém nas mãos do Congresso os R$ 15 bilhões realocados de outras pastas e devolve ao Planalto a execução do restante. O governo vai encaminhar nesta terça-feira (3) um projeto regulamentando como os recursos previstos para 2020 serão executados. A ideia é que, com este texto, chegue-se a um acordo com Câmara e Senado e os vetos do presidente Jair Bolsonaro sejam mantidos. Bolsonaro vetou um trecho da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2020 que ampliava esse poder dos congressistas sobre o Orçamento. Uma alteração feita pelo Congresso tornou impositivos R$ 30 bilhões do Orçamento que estavam na mão do governo. A mano