28 de maio de 2020Informação, independência e credibilidade

Tag: Cloroquina

OMS suspende teste com hidroxicloroquina contra coronavírus por provocar mais mortes

OMS suspende teste com hidroxicloroquina contra coronavírus por provocar mais mortes

Brasil
Tedros Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, anunciou que suspendeu os testes com hidroxicloroquina em suas pesquisas para avaliar um tratamento contra o coronavírus, após a publicação de um estudo sobre os riscos do remédio. A "pausa" nas pesquisas será adotada até que a questão da segurança do remédio seja avaliada em detalhe. A pesquisa com 96 mil pacientes publicada na revista The Lancet diz que o uso desse medicamento pode estar relacionado a um aumento no risco de morte por problemas cardíacos, como arritmia. A OMS insistia que não tinha evidências científicas do resultado positivo da hidroxicloroquina. Mas decidiu incluir o remédio nas pesquisas que estava conduzindo em cerca de 400 hospitais pelo mundo. Diante da constatação da revista de que o remédio pode representar um
“Água sagrada”: Prefeito de Cajueiro (AL) anuncia distribuição de kit contra covid-19

“Água sagrada”: Prefeito de Cajueiro (AL) anuncia distribuição de kit contra covid-19

Alagoas, Vídeos
Em um vídeo em seu canal oficial nas redes sociais, a prefeitura de Cajueiro, interior de Alagoas, anunciou a distribuição do composto batizado de “água sagrada” pelo prefeito do munícipio, Palmery Neto. A tal "água sagrada" é um coquetel com três medicamentos: cloroquina (endossada por Bolsonaro), azitromicina e nitazoxanida (a Annita do astronauta Marcos Pontos, ministro da Ciência e Tecnologia). Segundo o boletim deste sábado (23), o município de Junqueiro, há 85 quilômetros da capital Maceió, tem sete casos confirmados de coronavírus e um óbito. Já foram descartados 34 casos e outros 54 casos estão sob investigação. Ao lado do Dr. Denilson, um médico do município, o prefeito anuncia que encontrou o "kit salvador" após procurar por "água no deserto". E vai além: ele promete
Estudo com 96 mil pacientes mostra que cloroquina aumenta risco de morte e não é eficaz contra covid-19

Estudo com 96 mil pacientes mostra que cloroquina aumenta risco de morte e não é eficaz contra covid-19

Brasil
Um novo estudo publicado hoje na revista médica The Lancet afirma que o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina sozinhos ou combinados com macrolídeos, um grupo de antibióticos dentre os quais se destaca a azitromicina, não tem benefícios comprovados no tratamento de pacientes com covid-19. A pesquisa com 96 mil pacientes diz ainda que o uso desses medicamentos pode estar relacionado a um aumento no risco de morte por problemas cardíacos, como arritmia. Nesta semana, o Ministério da Saúde divulgou um protocolo no qual recomenda o uso de cloroquina para pacientes com sintomas leves de covid-19. O protocolo, defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, foi o principal ponto de divergência que culminou com a saída de Nelson Teich do comando da pasta da Saúde. O estudo é o primeiro
OMS: América do Sul é novo epicentro da pandemia e Brasil é o mais afetado

OMS: América do Sul é novo epicentro da pandemia e Brasil é o mais afetado

Brasil
O diretor do programa de emergências da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, declarou nesta sexta-feira (22) que a América do Sul se tornou o novo epicentro da pandemia de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. A entidade foi questionada se estava oferecendo algum tipo de assistência direta ao Brasil, que registrou um recorde de mortes diárias na quinta-feira (21), com 1.188 mortes em 24 horas, segundo balanço do Ministério da Saúde. Mais de 20 mil pessoas já morreram no país de Covid-19. "Em termos de resposta, nossos colegas na Opas (OMS nas Américas) estão fornecendo ajuda direta ao governo e a muitos dos estados que estão sendo duramente afetados, incluindo o Amazonas. A maioria dos casos é da região de São Paulo, mas também Rio de Janeiro, Ceará, Amazon
Mandetta acusa Bolsonaro de tentar alterar bula da cloroquina

Mandetta acusa Bolsonaro de tentar alterar bula da cloroquina

Brasil, Expresso
O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta revelou que o governo federal pretendia alterar a bula da cloroquina, para incluir no documento sua recomendação para o tratamento da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Em entrevista à GloboNews, Mandetta disse que o protocolo recomendando a droga é "distante do razoável" e contou sobre a tentativa de alterar a bula via decreto: "O presidente se assessorava ou se cercava de outros profissionais médicos. Eu me lembro de quando, no final de um dia de reunião de conselho ministerial, me pediram para entrar numa sala e estavam lá um médico anestesista e uma médica imunologista, que estavam com a redação de um provável ou futuro, ou alguma coisa do gênero, um decreto presidencial... E a ideia que eles tinham era de alterar a bula do me
Covid-19: Governo inclui cloroquina em tratamento de casos leves e AL já recebeu lotes

Covid-19: Governo inclui cloroquina em tratamento de casos leves e AL já recebeu lotes

Brasil
O Ministério da Saúde incluiu hoje (20) a cloroquina, e seu derivado hidroxicloroquina, no protocolo de tratamento para pacientes com sintomas leves de Covid-19. De acordo com o documento divulgado pela pasta, cabe ao médico a decisão sobre prescrever ou não a substância, sendo necessária também a vontade declarada do paciente, com a assinatura do Termo de Ciência e Consentimento. O governo alerta que, apesar de serem medicações utilizadas em diversos protocolos e de terem atividade in vitro demonstrada contra o coronavírus, ainda não há resultados de “ensaios clínicos multicêntricos, controlados, cegos e randomizados que comprovem o beneficio inequívoco dessas medicações para o tratamento da covid-19”. Apesar disso, o Ministério da Saúde considerou a existência do uso da drog
Cloroquina causará mais mortes, afirma Mandetta

Cloroquina causará mais mortes, afirma Mandetta

Brasil
Em entrevista à Folha, ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta é enfático e afirma que resultados iniciais de estudos que recebeu ainda no governo já indicavam riscos no uso de cloroquina para pacientes com quadro leve do novo coronavírus. Segundo os dados, este medicamento pode elevar a pressão por vagas em centros de terapia intensiva e provocar mortes em casa por arritmia. Ele diz ver na pressão de Bolsonaro pela cloroquina uma tentativa de estimular o retorno das pessoas ao trabalho. Mas apesar da ansiedade do presidente, Mandetta acredita que o país atravessou até o momento apenas 1/3 da crise e deverá ter pelo menos mais 12 semanas “duras” adiante. Confira os principais trechos: O sr. foi demitido no meio da pandemia. Seu sucessor não durou um mês no cargo. Qual d
Segundo estudo, Hidroxicloroquina não evita mortes por covid e ainda afeta o coração

Segundo estudo, Hidroxicloroquina não evita mortes por covid e ainda afeta o coração

Mundo
Um estudo publicado hoje no Journal of the American Medical Association (JAMA) aponta que a hidroxicloroquina não é capaz de evitar mortes pela covid-19 e ainda pode causar problemas no coração, tanto sozinha como quando associada à azitromicina. A pesquisa, realizada em pacientes de hospitais do estado de Nova York (EUA), é a maior deste tipo e corrobora com outro estudo publicado na semana passada, no New England Journal of Medicine, que também mostrou que o medicamento não funciona contra o novo coronavírus. Veja aqui como agem hidroxicloroquina e cloroquina. Números Ao todo, 1.438 pacientes de 25 hospitais nova-iorquinos foram avaliados pelos pesquisadores. A maior parte (59,7%) era formada por homens com 63 anos, em média. Apenas pessoas que estavam internadas há pelo
Covid-19: Conselho de Medicina autoriza hidroxicloroquina mesmo sem ‘nenhuma evidência científica’

Covid-19: Conselho de Medicina autoriza hidroxicloroquina mesmo sem ‘nenhuma evidência científica’

Brasil
O CFM (Conselho Federal de Medicina) ressaltou que não existe comprovação científica de que a hidroxicloroquina seja eficaz para o tratamento do novo coronavírus, mas mesmo assim liberou o uso do medicamento em três situações, incluindo no início de sintomas sugestivos de Covid-19 e em ambiente domiciliar. O anúncio foi feito por Mauro Luiz Britto Ribeiro, presidente do CFM, após reunião com o presidente Jair Bolsonaro e com o ministro da Saúde, Nelson Teich. Ribeiro entregou às autoridades um parecer do conselho sobre a administração da substância em pessoas com Covid-19. Bolsonaro é avido defensor da hidroxicloroquina e da cloroquina para o tratamento da doença, que ele já chamou de gripezinha e que até hoje tenta minimizar as consequências da mesma. A defesa das medicações
Governo testará remédio ‘promissor’ que tem 94% de eficácia contra a covid-19

Governo testará remédio ‘promissor’ que tem 94% de eficácia contra a covid-19

Brasil
O Ministério da Ciência e Tecnologia anunciou nesta quarta (15) que o Brasil testará nas próximas semanas um "remédio promissor" que teria demonstrado 94% de eficácia em ensaios com células infectadas pelo novo coronavírus segundo análises in vitro. Ao menos 500 pacientes com a covid-19, desde que não estejam em estado grave, participarão dos estudos clínicos, de acordo com o governo. Segundo Marcos Pontes, ministro titular da pasta, o medicamento tem formulação pediátrica e possui preço acessível nas farmácias. Mas o nome não foi revelado porque ainda não há um laudo conclusivo, ao contrário do que aconteceu com a cloroquina, alardeado por Bolsonaro e seus apoiadores como o melhor tratamento. "Para garantir a continuidade dos testes clínicos, e por questões de segurança, o nome