5 de julho de 2020Informação, independência e credibilidade

Tag: dólar

Dólar despenca na maior queda semanal desde 2008 e fecha abaixo de R$ 5

Dólar despenca na maior queda semanal desde 2008 e fecha abaixo de R$ 5

Economia
O dólar comercial fechou essa semana em queda de 2,8%, vendido a R$ 4,988, o menor valor desde 13 de março (R$ 4,813). É a primeira vez que o dólar fecha abaixo de R$ 5 desde 26 de março. Assim, a moeda fechou a semana com queda acumulada de 6,6%, a maior desde outubro de 2008. Também foi a terceira queda semanal seguida. No ano, porém, o dólar ainda acumula alta, de 24,29%. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, emendou a sexta alta diária, de 0,86%, e fechou a 94.637,06 pontos. É o maior patamar desde 6 de março (97.996,77 pontos). Na semana, o índice acumulou alta de 8,28%, o terceiro avanço semanal seguido. Em 2020, a Bolsa tem queda acumulada de 18,17%. Em um mercado altamente especulativo, investidores reagiram positivamente aos índices emprego nos
Financial Times: Real é a moeda com pior desempenho do mundo e vai piorar ainda mais

Financial Times: Real é a moeda com pior desempenho do mundo e vai piorar ainda mais

Economia
Segundo o britânico Financial Times, o real brasileiro já é a moeda com o pior desempenho do mundo este ano, mas analistas e investidores alertam que ainda deve cair ainda mais. A maioria das moedas de mercados emergentes sofreu fortes impactos como resultado do surto de coronavírus em várias, incluindo a lira turca, atingindo baixos recordes. Mas o real ainda se destaca, com uma queda de 32% em relação ao dólar desde janeiro. No início do ano, os investidores podiam receber R$ 4 por dólar, mas em meados de maio o dólar valia R$ 5,96, marcando o ponto mais fraco de todos os tempos para a moeda brasileira. Agora, alguns dos mais influentes bancos de negociação de moedas acham que pode passar dos R$6. E ir além. "É improvável que o ritmo de declínio que vimos continue, mas esp
Mercado financeiro prevê queda de 5,12% na economia este ano

Mercado financeiro prevê queda de 5,12% na economia este ano

Economia, Expresso
Pela 14ª semana seguida, piorou a expectativa do mercado financeiro para o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Desta vez, a previsão de queda passou de 4,11% para 5,12%. A estimativa consta do boletim Focus, publicação divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos. A previsão para o crescimento do PIB em 2021 segue em 3,20% e para 2022 e 2023 continua em 2,50%. A cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 5,28. Na semana passada, a previsão era R$ 5. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 5, contra R$ 4,83 da semana passada.
Dólar fecha com recorde: R$ 5,90

Dólar fecha com recorde: R$ 5,90

Economia, Expresso
O dólar comercial fechou em alta de 0,61%, vendido a R$ 5,901 na venda. Foi o terceiro avanço seguido e a moeda bateu pelo segundo dia o recorde nominal (sem considerar a inflação) de fechamento desde a criação do Plano Real. No ano, o dólar acumula alta de 47,06%. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em queda pelo terceiro dia seguido. O recuo hoje foi de 0,13%, a 77.772,20 pontos. É o menor nível em mais de um mês, desde 10 de abril (77.681,94 pontos).
Dólar fecha o dia valendo R$ 5,84, um novo recorde

Dólar fecha o dia valendo R$ 5,84, um novo recorde

Economia
O dólar comercial fechou em alta, pela quinta vez seguida. Agora, nesta quinta-feira (7), ele subiu 2,39% e encerrou o dia vendido a R$ 5,84. Este é um novo recorde de fechamento desde a criação do Plano Real. No ano, o dólar acumula alta de 45,53%. Ontem, o dólar já havia fechado com outro recorde, R$ 5,70, antes do anúncio do Banco Central, que cortou a taxa básica de juros (Selic) à mínima histórica de 3% ao ano. A redução de 0,75 ponto percentual foi mais forte do que o previsto pelo mercado e sinalizou que pode ocorrer mais um corte para estimular a economia, em meio aos impactos da pandemia de coronavírus.
Com dólar a R$ R$ 5,66, Real sofre a pior desvalorização semanal desde 2008

Com dólar a R$ R$ 5,66, Real sofre a pior desvalorização semanal desde 2008

Economia, Expresso
Na semana encerrada nesta sexta-feira (24),o Real perdeu 8% do seu valor ante o dólar, que fechou a R$ 5,66. Ele está R$ 0,42 mais caro que na semana passada. Nesta sessão, o dólar subiu 2,5% e foi ao seu terceiro recorde nominal seguido. No ano, a alta é de 41%, a maior desde 2015, quando a divisa dos Estados Unidos se valorizou 49% ante o real. Dentre todos as moedas do mundo, o real é a que mais perde valor em 2020. Política Durante o pregão desta sexta, o dólar chegou ao recorde de R$ 5,7450, após o pronunciamento de Moro sobre sua demissão. A Bolsa brasileira chegou a cair 9,6% logo após Moro encerrar sua fala. Caso a queda do Ibovespa superasse os 10%, seria acionado o mecanismo de circuit breaker, paralisando negociações por 30 minutos. Ao longo da tarde, a Bolsa red
Dólar bate novo recorde após Moro pedir demissão e fecha a R$ 5,528

Dólar bate novo recorde após Moro pedir demissão e fecha a R$ 5,528

Economia, Expresso
O dólar bateu mais um recorde e fechou em alta nesta quinta-feira (23). As expectativas de mais um corte na taxa Selic, que pressionam a moeda brasileira e principalmente a tensão política entre o ministro Sergio Moro e o presidente Jair Bolsonaro provocaram mais um dia de subida. A moeda norte-americana terminou o dia vendida a R$ 5,5285, em alta de 2,21%. Na máxima do dia durante os negócios, chegou R$ 5,5300.  Em 2020, o fluxo cambial ao Brasil está negativo em US$ 12,878 bilhões. No mesmo período de 2019, havia superávit de US$ 1,295 bilhão.
Economia Mercado financeiro reduz novamente previsão do PIB para 2020

Economia Mercado financeiro reduz novamente previsão do PIB para 2020

Economia
O mercado financeiro reduziu a projeção do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) este ano para menos 2,96%, contra os menos 1,96% apontados na semana passada. A informação consta do boletim Focus, com a projeção para os principais indicadores econômicos, divulgado hoje (20) pelo Banco Central. O boletim também registrou um corte na taxa básica de juros (Selic) de 2020 para 3%, ante os 3,25% da semana anterior. As previsões do mercado para o PIB de 2021 é de um crescimento de 3,10%. Já para 2022 e 2023 a previsão continua sendo de crescimento de 2,50%. A cotação do dólar é que a moeda deve fechar o ano em R$ 4,80, contra R$ 4,60 previstos na semana passada. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 4,50, contra R$ 4,47 da se
Mercado financeiro prevê queda de 1,18% no PIB em 2020

Mercado financeiro prevê queda de 1,18% no PIB em 2020

Economia
O mercado financeiro estima queda ainda maior da economia este ano, por influência da pandemia do coronavírus. A previsão de recuo do Produto Interno Bruto (PIB) agora é de 1,18%. Essa foi a oitava redução consecutiva. Na semana passada, o mercado previa queda de 0,48%. A estimativa consta do boletim Focus, uma publicação elaborada todas as semanas pelo Banco Central, com a projeção para os principais indicadores econômicos. As previsões do mercado para o PIB de 2021, 2022 e 2023 continuam em 2,50%. Já a cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 4,50, a mesma previsão da semana passada. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 4,40, contra R$ 4,30 da semana passada. Inflação As instituições financeiras consultadas pelo BC também reduziram a previsão de in
Em alta, dólar bate novo recorde e fecha a R$ 5,266

Em alta, dólar bate novo recorde e fecha a R$ 5,266

Economia, Expresso
O dólar comercial fechou em leve alta de 0,09%, a R$ 5,266 na venda. Com o resultado, a moeda bate mais um recorde nominal (sem considerar a inflação) de fechamento desde a criação do Plano Real. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em alta de 1,81%, a 72.253,46 pontos, após duas quedas seguidas. Além disso, os preços do petróleo saltavam cerca de 10% hoje, depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que espera que Arábia Saudita e Rússia cheguem a um acordo em breve para encerrar sua disputa pelo mercado de petróleo.