24 de fevereiro de 2020Informação, independência e credibilidade

Tag: Guedes

Reforma administrativa de Bolsonaro revisará salários e número de carreiras

Reforma administrativa de Bolsonaro revisará salários e número de carreiras

Brasil
Prevista para ser enviada ao Congresso Nacional nesta semana, segundo o presidente Jair Bolsonaro, a reforma administrativa pretende mudar os direitos dos futuros servidores federais. As propostas ainda não foram detalhadas, mas os pontos adiantados pelo governo nos últimos meses incluem a revisão dos salários iniciais, a redução no número de carreiras e o aumento no prazo para o servidor atingir a estabilidade. Segundo Bolsonaro, as mudanças não afetarão os servidores atuais. Apenas quem tomar posse depois da promulgação da reforma seria atingido. Uma das alterações mais importantes diz respeito à estabilidade dos futuros funcionários. Inicialmente, o governo pretendia esticar, de três para dez anos, o prazo para o empregado público conquistar a estabilidade. Há duas semanas,
Em alta, dólar supera R$ 4,40 pela 1ª vez na história

Em alta, dólar supera R$ 4,40 pela 1ª vez na história

Economia, Expresso
No início da manhã de sexta-feira (21), o dólar opera em alta e bateu logo na abertura do pregão, pela primeira vez na história, o patamar de R$ 4,40. Às 10h26, a moeda norte-americana era negociada a R$ 4,3990 na venda, em alta de 0,17%. Na máxima até o momento chegou a R$ 4,4061.  Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,6056, sem considerar a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Leia mais Bolsonaro pressiona Guedes para entregar, no mínimo, crescimento de 2% no PIB Dólar supera R$ 4,35 e Guedes critica período que até ‘empregada ia à Disney’ Guedes chama servidores de parasitas e delegados da PF protestam Guedes em Davos: ‘O grande inimigo do meio ambiente é a pobreza’ Na sessão anterior, o dólar encerrou o dia vendida a R$ 4,3917, em alta de 0,61%, marcand
Bolsonaro pressiona Guedes para entregar, no mínimo, crescimento de 2% no PIB

Bolsonaro pressiona Guedes para entregar, no mínimo, crescimento de 2% no PIB

Economia
O ministro da Economia, Paulo Guedes, enfrenta desgastes com o presidente Jair Bolsonaro e passou a ser cobrado por resultados. Alçado a superministro no começo do mandato, Guedes tem sido pressionado, desde o início deste ano, a mostrar seus feitos na economia. Com a redução da projeção do PIB, o presidente reforçou a Guedes a necessidade de que, neste ano, a atividade econômica cresça, no mínimo, 2%. Segundo assessores presidenciais, Bolsonaro fez o pedido a Guedes em uma reunião nesta semana. Como resposta, o ministro afirmou que será possível atingir, ou até superar, o percentual. No entanto, a resposta não tranquilizou o presidente. Leia mais: Paulo Guedes quis abandonar o navio, mas Bolsonaro o convenceu a ficar Guedes detesta pobre e Renan condena preconceito do ministro
Governo não atualiza tabela da Receita e todos pagaremos mais imposto

Governo não atualiza tabela da Receita e todos pagaremos mais imposto

Economia
A Receita Federal anunciou nesta quarta-feira (19) as regras e o calendário do Imposto de renda da pessoa física 2020. Houve uma antecipação em um mês do começo da restituição. Também foi reduzido o número de lotes de restituição de sete para cinco. Isso significa que as pessoas que têm direito vão receber o dinheiro mais depressa. Será obrigado a declarar neste ano, entre outras situações, quem ganhou mais de R$ 28.559,70 em 2019. Anteriormente os pagamentos da restituição começavam em junho, e agora o primeiro lote será pago em 29 de maio. Os demais lotes serão pagos nos dias 30 de junho, 31 de julho, 31 de agosto e 30 de setembro. As regras do Imposto de Renda 2020 confirmam que a tabela não sofreu correção pelo índice de inflação em 2019. Na prática, ao não corrigir a tabela,
Paulo Guedes quis abandonar o navio, mas Bolsonaro o convenceu a ficar

Paulo Guedes quis abandonar o navio, mas Bolsonaro o convenceu a ficar

Política
Após encontro a portas fechadas com o presidente Jair Bolsonaro, Paulo Guedes deixou o Palácio do Planalto ainda ministro. Ele ouviu apelos de Bolsonaro e dos ministros Augusto Heleno (GSI) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), que também participaram da reunião, para continuar no governo. Inclinado a entregar o cargo, ele resolveu continuar para tocar sua agenda liberal, mas não se sabe mais por quanto tempo. Para que continuasse com seu Posto Ipiranga no cargo, Bolsonaro argumentou sua saída do ministério poderia representar o fim precoce do governo. Considerado o grande trunfo de Bolsonaro com o mercado, o ministro se vê encurralado pela repercussão de suas próprias declarações e pelos cálculos políticos e eleitorais do presidente. Para Bolsonaro, perdê-lo agora seria
Quem votou em Bolsonaro para baixar o dólar foi enganado ou fez papel de ótario

Quem votou em Bolsonaro para baixar o dólar foi enganado ou fez papel de ótario

Artigo, Opinião
Quando começaram os protestos que antecederam o impeachment de Dilma, em 2015, as reivindicações da população ia além dos 20 centavos de reajuste na passagem em São Paulo. Seja de forma orgânica ou orquestrada, o que se iniciou como uma plataforma benéfica, para que a população fosse ouvida em sua indignação com o que acreditava estar de errado, foi deturpada e usada de uma maneira que custará alguns anos de desenvolvimento ao Brasil. Além da queda de Dilma, a eleição presidencial seguinte trouxe algumas falácias irritantes e difíceis de contornar para massas facilmente manobráveis. E junto com elas, vieram axiomas questionáveis e que se mostraram contraditórios: Apenas os partidos de esquerda, principalmente o PT, são os responsáveis pelo atraso econômico e corrupção É
Dólar supera R$ 4,35 e Guedes critica período que até ‘empregada ia à Disney’

Dólar supera R$ 4,35 e Guedes critica período que até ‘empregada ia à Disney’

Economia
A cotação do dólar voltou a subir e fechou nesta quarta-feira (12) em nova máxima histórica nominal , acima de R$ 4,35 na venda. E com certo desdém, o ministro da Economia, Paulo Guedes, resolveu se atentar ao copo meio cheio da situação. E criticou o período que o dólar custava menos de dois reais. Ele afirmou após o fechamento da bolsa que, quando o dólar estava próximo a R$ 1,80, as exportações caíam, mas o país tinha "todo mundo indo para Disneylândia, empregada doméstica indo para Disneylândia, uma festa danada". Com o exemplo da empregada doméstica, Guedes quis dizer que a taxa de câmbio estava tão valorizada que todo mundo estava indo para Disneylândia, até classes sociais mais baixas. "Todo mundo tem que ir para Disneylândia conhecer Walt Disney. Mas não ir três, quatro
Para agradar Congresso, Guedes suspende estudo sobre ‘nova CPMF

Para agradar Congresso, Guedes suspende estudo sobre ‘nova CPMF

Economia, Expresso
Para evitar que outras propostas econômicas sejam barradas no Congresso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu suspender os estudos de tributação sobre transações eletrônicas. A ideia foi abandonada temporariamente, já que o Congresso e o presidente Jair Bolsonaro sinalizaram que haveria resistência à medida. Especialistas afirmam que o imposto sugerido pelo ministro tinha as mesmas características da extinta CPMF, mas com nova roupagem. Apesar de ter sido convencido de que o assunto não deve ser tratado agora, Guedes repete a interlocutores de que será preciso encontrar uma solução para o ajuste no sistema tributário brasileiro.
Bolsonaro deve aprovar fundo eleitoral, mas salário mínimo é decisão de Guedes

Bolsonaro deve aprovar fundo eleitoral, mas salário mínimo é decisão de Guedes

Política
O presidente Jair Bolsonaro indicou hoje que pode sancionar sem restrições o valor do fundo eleitoral de R$ 2 bilhões, aprovado pelo Congresso, para as eleições municipais deste ano. Ele ainda não tomou uma decisão definitiva para o financiamento de campanhas, mas possui uma motivação para passar a caneta: 'evitar cometer crime de responsabilidade', o que pode levar a um processo de impeachment. O presidente já fala até em "preparar a opinião pública". Em 19 de dezembro, ele afirmou ser contrário ao fundo eleitoral, mas se disse "escravo da lei" e reclamava das críticas que vem sofrendo e da pressão sobre ele para vetar o projeto. "O fundo eleitoral é uma lei, o que o TSE fez? Oficiou a receita no valor, o montante, de R$ 2 bilhões. Então o veto ou sanção é uma obediência à lei.
Alhos e bugalhos: Guedes ataca Macron sobre Amazônia e cita incêndio em Notre Drame

Alhos e bugalhos: Guedes ataca Macron sobre Amazônia e cita incêndio em Notre Drame

Expresso
O ministro da Economia, Paulo Guedes, não parece muito preocupado com a reputação do Brasil ou debandada de investidores do País. E foi além: ele aproveitou para criticar o presidente Emmanuel Macron. Ao falar da Amazônia, no Globo News, nesta quarta (18), Guedes questionou a autoridade do francês sobre o assunto, já que ele "não conseguiu impedir" o incêndio na Catedral de Notre Dame. "Você vê a dificuldade de o Macron impedir de queimar Notre Dame e ele está aí, preocupado com o fogo na floresta. A Amazônia é do tamanho da Europa. A gente tenta cuidar, mas é difícil. 'Tocaram' fogo em Notre Dame e o Macron não conseguiu impedir". Disse Guedes, que com Bolsonaro criticou até a esposa de Macron.