28 de maio de 2020Informação, independência e credibilidade

Tag: presidente

O dia em que o Considerado foi ao cercadinho do Alvorada e bateu boca com o mito

O dia em que o Considerado foi ao cercadinho do Alvorada e bateu boca com o mito

Blog, Pequeno Polegar
De quarentena em casa, como cuidador de duas idosas, a avó Nildinha e a Cega Dedé, de PJ, Considerado já meio estressado com o noticiário da pandemia, as diatribes do Presidente Jair Bolsonaro e o destrambelhamento de parte dos seguidores do chefe da nação, resolve cometer uma loucura. Num estalo, cismou de ir a Brasília para dizer "umas verdades" ao presidente. -Onde já se viu 7 mil mortos no País, até agora, por causa do vírus, e esse cara dizer que era uma gripezinha? - Falou consigo mesmo. E, revoltado, continuou sua falação dentro do que considerou uma aberração praticada por um governante. - O povo morrendo e esse homem fazendo piadas, dando rolé nas ruas de Brasília, tossindo na cara das pessoas, limpando o nariz com a mão e com ela suja apertando as mãos de outras pessoas
Vídeo: Bolsonaro volta a criticar governadores, culpa mídia e fala em histeria

Vídeo: Bolsonaro volta a criticar governadores, culpa mídia e fala em histeria

Brasil, Vídeos
https://www.youtube.com/watch?v=VWsDcYK4STw Em seu terceiro pronunciamento em rádio e televisão sobre a crise do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar na noite desta terça-feira (24) a gravidade da doença. Em seu terceiro pronunciamento em rádio e televisão sobre a crise do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar na noite desta terça-feira (24) a gravidade da doença. "O grupo de risco é o das pessoas acima de 60 anos. Então, por que fechar escolas? Raros são os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos". Jair Bolsonaro, presidente. Bolsonaro também atacou a mídia, que, para ele, criou um ambiente de pavor, e voltou a criticar governadores. E agindo como um menino mimado, partiu para cima de Drauzio Varella e a Rede Globo:
Bolsonaro diz ter provas de fraude nas eleições; Então que sejam anuladas

Bolsonaro diz ter provas de fraude nas eleições; Então que sejam anuladas

Opinião, Política
https://youtu.be/Gvn8RGqQGrE Em discurso para 300 apoiadores nos EUA, o presidente Jair Bolsonaro se sentiu confortável para falar de tudo. Talvez confortável até demais: dizendo que o coronavírus é superdimensionado, ignorando a crise do petróleo e pane das bolsas, e que bastava o congresso devolver os R$ 30 bilhões do orçamento para não haver atos no dia 15, o presidente foi além e disse ter prova de que as eleições foram fraudadas. "Minha campanha, eu acredito que, pelas provas que tenho em minhas mãos, que vou mostrar brevemente, eu tinha sido, eu fui eleito no primeiro turno, mas, no meu entender, teve fraude. E nós temos não apenas palavra, nós temos comprovado, brevemente eu quero mostrar". Jair Bolsonaro, presidente. A fala é grave. Primeiro, por ser no pior momento possível,
Bolsonaro dá “entrevista exclusiva para comediante” na Record e diz que fará nova cirurgia

Bolsonaro dá “entrevista exclusiva para comediante” na Record e diz que fará nova cirurgia

Brasil
Em entrevista ao programa Domingo Espetacular, da TV Record, exibida no domingo (8), Jair Bolsonaro afirmou que terá que passar por nova cirurgia. Ele já passou por quatro procedimentos cirúrgicos desde que foi vítima de uma facada, durante a campanha eleitoral de 2018. Ele não deu detalhes sobre quando seria o procedimento ou por que razão seria necessário. Bolsonaro participou de um quadro com o humorista Márvio Lúcio dos Santos Lourenço, conhecido como Carioca, que estava caracterizado como o presidente, assim como na vexatória tentativa de ignorar o PIB na semana passada. Fake News No programa exibido neste domingo, Carioca entregou a Bolsonaro uma edição impressa da Folha, após ouvir do presidente que ele não lia jornais para não se envenenar. Bolsonaro então reclamou da
Guerra virtual: Bolsonaro agride e é atacado com vídeos pornográficos

Guerra virtual: Bolsonaro agride e é atacado com vídeos pornográficos

Opinião
O clima nas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro está ebulindo cada vez mais quando o chefe do executivo se posiciona sobre qualquer assunto polêmico. Desta vez sua equipe está tendo muito trabalho em apagar os exageros (vídeos de sexo explícito entre homossexuais) constantes no contra-ataque vindo de integrantes de movimentos civis LGTB e simpatizantes defensores da diversidade, diante das mais recentes e polêmicas declarações do chefe da Nação em relação, como aquela de que "o Brasil não pode ser o país do turismo gay". Os conteúdos circulam nos comentários de suas postagens, de forma contundente, numa resposta possivelmente (e estrategicamente) orquestrada pela militância LGBT, em resposta às declarações do presidente. Claro que não foi só a questão do turismo gay. O