9 de abril de 2020Informação, independência e credibilidade
Blog

Tarifa Branca: sua conta de energia pode ficar mais barata. Vai aderir?

Sistema que permite variação de preço na tarifa, de acordo com horário de uso, já está disponível para quem quiser aderir

Ilustração

Você já ouviu falar em ‘Tarifa Branca’ de energia elétrica? É bom se inteirar. Trata-se de um sistema tarifário com variação de preço conforme o dia e o horário do consumo, segundo parâmetros estabelecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e empresas distribuidoras.  

Fala-se que esse sistema pode proporcionar uma margem de até 20% de economia na ‘conta de luz’, a partir da mudança de hábitos de consumo, evitando os horários de ponta e concentrando o maior uso da energia nos horários considerados mais ociosos (fora de ponta), em que as companhias energéticas oferecem energia mais barata.

Embora pouco conhecida, a Tarifa Branca existe desde 2018, inicialmente restrita a consumidores com perfil acima de 500 KW / mês. Em janeiro de 2019, ela foi ampliada para a linha de consumo acima de R$ 250 KW e agora, a partir deste mês de janeiro, o sistema tornou-se disponível para todas as unidades consumidoras do país, atendidas em baixa tensão (exceto aquelas já incluídas no regime de Tarifa Social). Já está valendo. Mas para usufruir, é preciso entrar em contato com a fornecedora (Equatorial) e solicitar adesão.

Mas, ATENÇÃO!

Segundo os especialistas, esse regime só compensa para quem, de fato, consegue se adequar a um padrão de consumo que evite os chamados horários de pico. E é preciso disciplina no controle desses horários, senão a tentativa de reduzir a conta, pode produzir um efeito contrário e torná-la mais cara. 

Os parâmetros da Aneel contemplam três faixas de horário diferentes nos dias úteis: O de ponta, em que há maior demanda de consumo e a energia é mais cara; o fora de ponta, em que o consumo é menor, a oferta fica ociosa e a energia é mais barata; e o intermediário que compreende uma hora antes e uma depois dos horários de ponta, e o preço fica no meio-termo. Nos finais de semana e feriados, o valor considerado é sempre o fora de ponta, em qualquer horário de uso.

Na média nacional, a tabela é a seguinte: Horário de ponta – das 19 às 22 horas; intermediário – das 18 às 19 e das  22 às 23 horas; fora de ponta (energia ociosa, mais barata) – 23 às 18 horas. Mas cada distribuidora de energia define as faixas de ponta de acordo com a capacidade ociosa. Em Alagoas, segundo quadro divulgado no site da Aneel, o horário de ponta (mais caro) foi estabelecido entre as 17h30 e as 20h30. O intermediário é das 16h30 às 17h30 e das 20h30 às 21h30, e o horário fora de ponta (apropriado para quem adere à Tarifa Branca) é das 21h30 às 16h30 do dia seguinte.

Vai experimentar?

Você precisa solicitar a adesão pelos canais de atendimento da Equatorial. A empresa vai instalar um novo medidor na sua unidade consumidora, já adequado para registrar o consumo de acordo com os horários em que a energia elétrica da sua residência é utilizada, com os respectivos valores diferenciados.

Antes de pedir adesão, analise seu perfil de consumo. Por exemplo: A que horas são usados, na sua casa, o chuveiro elétrico, o ar-condicionado, o ferro elétrico – aparelhos que mais contribuem com o consumo de energia numa residência? É possível remanejar esse uso para os horários fora de ponta, após as 22h, por exemplo? Se a resposta é sim, vá em frente. Senão, talvez seja aconselhável permanecer com a tarifa convencional.

Na dúvida, faça a adesão e no primeiro mês compare as conta, de antes e depois da tarifa Branca. Se constatar que a mudança não foi vantajosa, você pode retornar ao sistema tarifário anterior. Contudo, assim fazendo, só poderá pedir novamente adesão à Tarifa Branca após carência de 180 dias.

Bom. Dá licença que vou ali pedir minha adesão.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.