20 de janeiro de 2020Informação, independência e credibilidade
Justiça

TJAL vai conscientizar estudantes de escola pública sobre violência doméstica

Juíza Carolina Valões, integrante da Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça, conduzirá a iniciativa, que promoverá bate-papos e dinâmicas

Assinatura de termo de cooperação ocorreu no gabinete da Presidência.

O Judiciário de Alagoas vai levar atividades de conscientização sobre violência doméstica contra mulheres, para alunos de escolas públicas. O presidente do Tribunal de Justiça, Tutmés Airan, e o diretor da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal), desembargador Fábio Bittencourt, assinaram termo de cooperação, nesta terça-feira (14), para viabilizar a iniciativa.

Tutmés Airan ressaltou que o projeto, denominado Lei Maria da Penha nas Escolas, é relevante principalmente para crianças que presenciam a violência em casa e podem acabar naturalizando a situação.

“A tendência do jovem que vê esse comportamento dentro de casa é reproduzir o modelo. É muito importante esse tipo de trabalho, para que o jovem não reproduza mais adiante”. Tutmés Airan, presidente TJ/AL.

A juíza Carolina Valões, integrante da Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça, conduzirá a iniciativa, que ocorrerá no âmbito do Programa Cidadania e Justiça na Escola, da Esmal. Serão promovidos bate-papos e dinâmicas que envolvam os alunos.

“Vamos fazer um levantamento e escolher uma escola no primeiro semestre e outra no segundo, para a gente fazer um trabalho mais aprofundado. Será lançado um edital para servidores e juízes fazerem esse trabalho, eles serão certificados pela Esmal e terão pontos no Juízo Proativo”. Carolina Valões, juíza.

A desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento está à frente da Coordenadoria da Mulher, que tem ainda como integrantes os magistrados José Miranda e Marcella Pontes.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.