28 de maio de 2020Informação, independência e credibilidade
Blog

Vírus: gado berra morte aos políticos e bancos lucram mais de R$ 100 bi

Nesta pandemia, os arautos da economia cobram dos políticos e os bancos nem uma máscara doaram

 

É impressionante como os arautos do bem estar da economia – e tudo por ela – silenciam com a relação à participação dos bancos que operam no Brasil, diante desse tsunami do coronavírus.

Nem uma palavra, nem uma cobrança, em suma, omissão total.

Ora, os bancos até agora não fizeram nenhuma contribuição, nenhum afago, nenhuma adoção. Absolutamente nada.

Aliás, querem os trabalhadores nas ruas em nome da economia, de preferência fazendo filas quilométricas diante dos caixas. Para pagar boletos.

Olha que os bancos poderiam contribuir e muito com as medidas de combate ao vírus e, sinceramente, com a assistência a quem mais precisa neste momento. Mas, não.

Agora veja. Em 2019, numa economia de pibinho, os cinco maiores bancos do País tiveram um lucro líquido – livre de impostos – de R$ 102,294 bilhões.

Foram eles: Banco do Brasil (R$ 17,848 bi), Caixa (R$ 21,1 bi), Itaú (R$ 26, 583 bi), Bradesco ( R$ 22,582 bi) e o Santander (R$ 14,181bi).

Faça as contas e diga o que seria 0,5% do montante para ajudar as medidas de combate ao coronavírus? Hein?

Apesar de toda essa dinheirama,  essa gente que vive da especulação financeira não comprou um único respirador ou mesmo uma simples máscara para doar a profissionais de saúde ou instituição hospitalar. Nada vezes nada.

Enquanto isso, uma manada estridente berra nas redes sociais: tira o dinheiro do fundo partidário, corta os salários dos políticos, mata os sem terra, joga ácido nos petistas… e segue vociferando por aí…

Mas, por que não os bancos? Que inclusive não te dispensa multas, nem juros de boletos atrasados. Doeria nos caixas uma mínima contribuição do lucro líquido?

É impossível não dizer que alguma coisa está fora de ordem nas cabeças dessa gente que tem apenas a classe política como alvo maior, como se não estivessem fazendo política quando apontam a mira.

Tudo é política e hipocrisia, já dizia a Cega Dedé lá de PJ.

No caos da pandemia, a Federação Europeia dos Bancos recomendou – e foi atendida na semana passada – que seus associados suspendam o pagamento de bônus a executivos e dividendos aos acionistas sobre o resultado do lucro líquido do ano passado.

Os agentes do mercado financeiro curtem e só curtem…

O belo exemplo teve por objetivo manter o giro do capital para atender a demanda das empresas e da sociedade em geral, que está a sofrer com a agressividade do coronavírus. Ou seja, o lucro foi destinado a atender a essas pessoas físicas e jurídicas.

Já aqui, os senhores do glorioso “mercado” não estão nem aí. Agora sim, cobram soluções do Estado. Dar para entender?

A história está cheia de exemplos de governos socorrendo bancos quando estão indo à bancarrota. É dinheiro público que vai direto para os cofres deles. Ou não é? E o inverso nada?

É a lógica do mercado “venha nós” e o vosso reino vá para o raio que o parta.

Os arautos também se mantêm silentes, quando alguém no parlamento faz uma proposta clara de taxar as grandes fortunas para combater o covid-19. Eis aí uma oportunidade importante de fazer com que esses agentes do mercado financeiro contribuam com alguma coisa na hora da dificuldade aberrante.

Mas, sabe o que acontece com os berrantes?

Murcham as orelhas, exibem as pontas e continuam a berrar para eles mesmos: comunistas, são contra o Brasil!

Ora, fala sério…

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.