9 de abril de 2020Informação, independência e credibilidade

Blog

Aglomerações seguem desafiando o vírus nas feiras, no ônibus, nos bancos…

Aglomerações seguem desafiando o vírus nas feiras, no ônibus, nos bancos…

Blog, Por Elas
Mesmo em tempos de quarentena, em que a ordem universal é ficar em casa para minimizar os riscos de contaminação pelo novo coronavírus, as aglomerações que têm se formado nas feiras livres e em frente às instituições financeiras (bancos e casas lotéricas) têm constituído um desafio diário no controle da Covid-19, com a superexposição de pessoas, inclusive idosas e de saúde debilitada, ao risco de contato com o vírus, no meio de multidões que vão em busca do dinheiro da aposentadoria, do benefício, da Bolsa Família, da cota do Pis e do FGTS, da regularização do CPF para o cadastro do auxílio emergencial. Já falamos sobre isso esta semana, mas nada mudou – nem na capital, nem no interior. Aliás, as imagens que vi hoje, no mercado do peixe, em Palmeira dos Índios, um dia depois que os órgã

É possível recorrer da lei do retorno?

Blog, Wagner Melo
Se existe uma lei universal da qual poucos escapam é a do retorno. Boris Johnson, premiê britânico, era adepto da teoria de que a Covid-19 é só uma gripezinha e agora está na UTI de um hospital tratando este “leve resfriado”. Eu diria aqui que, para um político que atrasou a adoção do isolamento total por conta de uma ideologia nefasta, a contaminação seria motivo de vergonha. Mas esta gente não tem vergonha. Aliás, quem tem que dar explicações à família e à sociedade é o ministro da Saúde de Israel, Yaakov Litzman. Ele disse que o coronavírus era castigo para gays e agora está infectado. Neste caso, só digo uma coisa: hummmmmmm... Os Estados Unidos vivem um pesadelo com este vírus da peste. Quase dois mil mortos em um único dia. E no Brasil, criaturas mesmo vendo o que a
Bancada da agricultura pede a demissão de Ministro da Educação

Bancada da agricultura pede a demissão de Ministro da Educação

Blog, Marcelo Firmino, Política
Indicado por Olavo de Carvalho (guru da família Bolsonaro) para o Ministério da Educação, a situação de Abraham Weintraub, começa a complicar dentro do Palácio do Planalto. É que agora a bancada do agronegócios passou a pedir ao presidente Jair Bolsonaro a cabeça do ministro. Querem vê-lo, o quanto antes, longe do ministério. A reação surgiu após o constrangimento que Weintraub provocou com os chineses, a partir de uma postagem indevida contra o governo da China, considerado o maior importador  de carne bovina e frangos do Brasil. A bancada do agronegócios, que é poderosa no Congresso Nacional, já havia reclamado de uma postagem de Eduardo Bolsonaro que acusou a China de ter fabricado o coronavírus. Com isso as relações comerciais entre os dois países ficou estremecida. Ago
Vírus: gado berra morte aos políticos e bancos lucram mais de R$ 100 bi

Vírus: gado berra morte aos políticos e bancos lucram mais de R$ 100 bi

Blog, Marcelo Firmino
  É impressionante como os arautos do bem estar da economia - e tudo por ela - silenciam com a relação à participação dos bancos que operam no Brasil, diante desse tsunami do coronavírus. Nem uma palavra, nem uma cobrança, em suma, omissão total. Ora, os bancos até agora não fizeram nenhuma contribuição, nenhum afago, nenhuma adoção. Absolutamente nada. Aliás, querem os trabalhadores nas ruas em nome da economia, de preferência fazendo filas quilométricas diante dos caixas. Para pagar boletos. Olha que os bancos poderiam contribuir e muito com as medidas de combate ao vírus e, sinceramente, com a assistência a quem mais precisa neste momento. Mas, não. Agora veja. Em 2019, numa economia de pibinho, os cinco maiores bancos do País tiveram um lucro líquido - livre
Deus nos acuda! Quem sobrevivará à caneta de Bolsonaro?

Deus nos acuda! Quem sobrevivará à caneta de Bolsonaro?

Blog, Por Elas
Não é de hoje que o presidente Jair Bolsonaro e o seu ministro da Saúde destoam; não falam mais a mesma linguagem. O vírus que tem causado devastação por onde passa, e que avança no Brasil, afetou de maneira mortal a relação entre comandante e comandado e a convivência de ambos no mesmo governo tornou-se visivelmente insustentável. Em seu trabalho de combate ao avanço da Covid-19 no Brasil (um bom trabalho, do ponto de vista técnico, diga-se de passagem), o ministro Luiz Henrique Mandetta tem feito manobras mirabolantes para se manter na mesma rota da ordem mundial, sem trombar com o ‘rei’, que de maneira insana, contra toda sinalização, insiste em permanecer na contramão das medidas técnicas adotadas em todo o planeta. Quase que diariamente, as contradições se repetem dentro do gove
Não é só teimosia: Aglomerações exigem estratégias mais eficientes

Não é só teimosia: Aglomerações exigem estratégias mais eficientes

Blog, Por Elas
https://youtu.be/jq2K37hu3T0 Fim de um mês, início de outro, contas a pagar, dinheiro a receber e a panela vazia na casa de milhares de pessoas que há 15 dias não podem sair para trabalhar, diante da ameaça de um inimigo invisível que se alastra deixando um rastro de morte pelo mundo inteiro. Está difícil para todos, mas estou falando, especificamente de uma faixa mais pobre da população; de pessoas idosas, trabalhadores informais que de uma hora para outra ficaram sem renda; de uma legião de famílias que dependem dos programas sociais do governo e das ações de solidariedade que aparecem aqui ou ali. Para estes, não há alternativa senão encarar a fila do banco e da casa lotérica para receber o benefício ou se arriscar na fila da distribuição da cesta-básica promovida por instituiç
SUS joga na lata do lixo discurso neoliberal de profetas do estado mínimo

SUS joga na lata do lixo discurso neoliberal de profetas do estado mínimo

Blog, Marcelo Firmino
Nessa crise histórica do coronavírus não há como não louvar a existência do SUS - Sistema Único de Saúde - no Brasil. Ele é a antítese de tudo que os profetas do chamado "estado mínimo" já disseram contra os serviços públicos. O SUS é cria da Constituição Cidadã de 1988, quando determinou que é dever do Estado garantir saúde a toda a população brasileira. Em 2000 o sistema passou a ter administração tripartite: União, Estados e Municípios. Mas, o fundamental destacar é que nessa pandemia do coronavírus não fosse exatamente o Sistema Único de Saúde, o Brasil estaria vivendo a desgraça de uma tragédia extremada. Para onde correm os brasileiros sem a caríssima assistência dos planos particulares? Exatamente para a rede pública. E hoje até os que pagam seus planos estão correndo p

Vamos ter que aprender pela dor?

Blog, Wagner Melo
No Equador, corpos são abandonados nas ruas, cadáveres são queimados em via pública e pessoas sucumbem ao ar livre. O estado é de calamidade e a comoção não têm sido proporcionais ao problema humanitário. Afinal, equatorianos, na sua maioria, não possuem olhos azuis. Ah, Lembrei! Os Estados Unidos já bateram o recorde da Itália com mais de mil mortes em um único dia. São fatos fartamente documentados, mas, uma parcela dos brasileiros, incentivada por seu líder maior, fecha os olhos. Eles estão preocupados, apenas, em levar suas vidas, indiferentes à dor do outro e se achando imunes à tragédia que vem devastando outras nações e está bem aqui, rondando nossa casa. É impressionante como estão hipnotizados, tal qual os alemães na década de 30 do século passado. Negam a realid
Ajuda emergencial é sancionada, mas veto do presidente reduz seu alcance

Ajuda emergencial é sancionada, mas veto do presidente reduz seu alcance

Blog, Por Elas
Aprovado na segunda-feira (30), por unanimidade, no Congresso Nacional, o projeto que estabelece ajuda emergencial entre R$ 600 e R$ 1.200 para trabalhadores informais e microempreendedores individuais durante a crise gerada pelo coronavírus, virou lei. Foi sancionado na noite desta quarta-feira (1° de abril), pelo presidente Jair Bolsonaro, mas com vetos que reduzem seu alcance social e que podem atrasar ainda mais o pagamento. A celeridade vem sendo cobrada por membros do Congresso, de partidos políticos e de outras instituições, inclusive ministros do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal de Contas da União. Apesar da gravidade da situação dos beneficiários e do caráter emergencial da matéria, o projeto ficou dois dias parado, aguardando a sanção presidencial. E o governo chegou a s
Os números invisíveis das vítimas da cheia no sertão alagoano

Os números invisíveis das vítimas da cheia no sertão alagoano

Blog, Por Elas
Mais de 630 pessoas entram na conta da Defesa Civil estadual, que soma o total de desabrigados e desalojados deixados pela enchente que afetou duramente quatro municípios localizados no vale do Rio Ipanema, no sertão alagoano. Esta é a conta oficial; os números que viram estatísticas. Por traz deles existe uma conta invisível de outras centenas de famílias que viram tudo que tinham descer por água abaixo. Alguns não ficaram nem com uma cadeira no canto da sala, mas ficam fora das estatísticas das vítimas da cheia. As imagens da força da água que começou a subir na noite de domingo (29) e atingiu o ápice na manhã da segunda-feira (30), são impressionantes. Casas desmoronando, móveis e eletrodomésticos sendo arrastados, pontes inundadas e o volume alargando, tomado as ruas das cidades e